Dias de Sol | Blog sobre beleza, proteção solar, livros e outras coisinhas do universo feminino.
☰ Menu

Dias de Sol - Blog sobre beleza, proteção solar, livros e outras coisinhas do universo feminino.

Móveis rústicos: eu adoro!

Meu pai sempre gostou de “brincar” com madeira. Há alguns anos, me lembro que tinhamos um beliche bem velho, mas que tinha pernas lindas, daquelas torneadas, sabe? Um dia, cheguei em casa e ele havia desmontado o boliche e, com algumas tábuas de demolição, havia criado uma mesa maravilhosa e gigante, daquelas de fazenda mesmo! Minha mãe usou cera escura e betume da Judeia para escurecer a madeira e pronto: tinhamos um móvel rústico lindíssimo em casa!

Desde então, a “produção moveleira” do meu pai não parou mais: ele fez mesinhas de centro, criados-mudos e aparadores. E nossa casa parecia uma casa de fazenda!

Foi aí que comecei a me apaixonar pelos móveis rústicos. Acho que eles combinam com todos os cômodos da casa, e dão um ar de aconchego ao lar.

Selecionei algumas inspirações bonitas que encontrei por aí e espero muito que vocês gostem!

móveis-rústicos

via

Acho simplesmente o máximo esse tipo de mesa que tem ao redor bancos e também cadeiras. Quando eu me mudar para uma casa um tiquinho maior eu quero investir em um móvel desse!

móveis-rústicos

Aqui em cima, três exemplos maravilhosos de como uma mesa rústica fica linda em qualquer ambiente! Adorei a ideia da segunda foto, pois uma mesa com rodinhas é super prática. Móveis rústicos costumam ser super pesados, então as rodas vão facilitar muito a vida de quem precisar limpar esse cômodo! :) Ah, e na terceira foto, um dos meus objetivos de desejo: uma cristaleira rústica! A da foto não é a mais linda do mundo, mas já faz meus olhos brilharem!

rústicos-móveis

Amei muito, muito, muito essa ideia criativa da primeira foto! Criaram uma divisória super charmosa com pallets! Não sei bem como conseguiram fixar um sobre o outro, mas ficou muito show, ideal para quem quer separar ambientes de um jeitinho econômico e criativo!

A segunda foto é a materialização da formosura! Acho lindas essas estantes em formato de escada! A da foto não é propriamente rústica, mas deixou o banheiro com uma carinha de casa de campo!

A graça da terceira foto está naquele armário verde, lá no fundo! Estou certa de que aquilo ali era uma porta normal, e virou lindamente um roupeiro! É a prova de que móveis rústicos podem ser coloridos sem perder o ar campestre! :)

palletepallete

E , por fim, uma super mesinha de centro feita com pallets! Tô faz muito tempo querendo fazer uma mesinha assim, mas fico só enrolando. Mas acho que nessas férias vou colocar a mão na massa!

E vocês, gosta, de móveis rústicos? O que acharam das inspirações?

Beijo!

2 comente aqui
Posts Relacionados

Resenha: Não sou uma dessas (Not that kind of girl), de Lena Dunham

Comprei Não sou uma dessas pois fico curiosa com livros que fazem com muitas pessoas digam que ele é ótimo e outras muitas digam que ele é uma porcaria.

Lena Dunham é criadora e roteirista da série Girls, da HBO, que por sinal nunca assisti. Na verdade, nunca havia ouvido falar em Lena Dunham, mas se o livro gerou polêmica, merecia ser lido, então lá fui eu.

resenha-nao-sou-uma-dessas

Não sou uma dessas foi lançado no Brasil pela Editora Intrínseca e tem 301 páginas. O livro tem ilustrações lindinhas feitas por Joana Avillez e que ajudam o livro a ficar mais divertido.

lena-dunham-not-that-kind-of-girl

Ao ler as primeiras 40 páginas, posso dizer que detestei o livro. Não sou uma dessas é uma autobiografia que na verdade não segue uma ordem cronológica. Lena Dunham dividiu o livro em capítulos (Amor e Sexo, Corpo, Amizade, Trabalho e Panorama), e as primeiras páginas narram suas malucas experiências sexuais de uma forma um pouco apelativa e forçada demais pro meu gosto. Porém, seguir firme na leitura, e comecei aos poucos a gostar do jeitinho da Lena.

Desde sua infância, fica claro que ele nunca foi uma criatura muito normal. Suas preocupações e comportamentos não eram compatíveis com o que se esperaria de uma garotinha convencional, mas é isso que dá graça ao livro.

nao-sou-uma-dessas

Lena veio de uma família que tinha relativamente grana, então teve uma vida confortável. Logo, teve acesso a terapeutas, boas escolas e teve direito a viver por um tempo como se não houvesse amanhã.

No livro ela fala de drogas, relacionamentos gays, dilemas existenciais e tudo isso com bom humor e sem censuras. Em Não sou uma dessas você vai ler coisas como:

“Um ano mais tarde, tenho que mudar meu nome de usuário porque um garoto na escola, um cabeludo enorme, com rosto que parecia uma pintura do Picasso, me envia um e-mail dizendo que vai me estuprar e me besuntar de molho barbecue. Ele é o único cara que gosta de mim desse jeito, mas queria muito que ele não gostasse.”

nao-sou-uma-dessas-lena-dunham

Ou seja, há momentos tão surreais que só o que podemos fazer é dar risada. Alguns episódios relatados no livro com certeza foram “aumentados” pela Lena para ficarem mais divertido, mas quem se importa?

Não sou uma dessas não é o melhor livro que já li na vida, mas vale as risadas! :)

Se você é cheio de mi-mi-mi, talvez não irá gostar, pois Lena fala as coisas sem pudor. Mas se você, como eu, gosta de penetrar em uma mente insana, então vai fundo!

Agora quero assistir a série Girls pra descobrir qualéquié!

Beijos!

4 comente aqui
Posts Relacionados

Vampiros modernos: os ladrões de energia

Em um momento você está bem, cheio de alegria e entusiasmo. Porém, determinada pessoa se aproxima de você, e de repente você sente como se sua energia tivesse sido sugada para fora do seu corpo. Cansaço repentino, bocejos sem fim, tristeza, vontade de dormir ou de fugir. Já sentiu isso? É isso o que acontece quando estamos perto de um ladrão de energia.

ladrões-energia

Algumas pessoas nos roubam energia sem perceber, por não conseguirem produzir ou absorver energia boa suficiente para que se mantenham abastecidos e de bem com a vida. São pessoas boas, muitas vezes de nossa família ou de nosso círculo de amigos, mas que fazem com que a gente sinta um certo desconforto em suas presenças.

Não sou especialista no assunto, mas já consegui identificar os tipos de vampiros que mais me deixam derrubada:

  • aquele que só fala de si. E pra piorar, só fala de problemas. O tempo todo. Sem parar.
  • aquele que critica a tudo e a todos, mas na verdade morre de inveja de todo mundo.
  • aquele que joga areia no meu sundae, e quando falo dos meus objetivos, sempre dá um jeitinho de disfarçadamente me desanimar.
  • aquele que sempre espera o pior da vida e acha que tudo só tende a ir de mal a pior.
  • aquele que não fala nada de mau, não faz nada de mau diretamente, mas só sua presença e pensamentos negativos já pesam umas duas toneladas. (esse é tipo mais difícil de lidar, em minha opinião).

Quando o ladrão de energia é alguém totalmente do bem e faz parte do nosso círculo de convivência, é complicado saber como agir sem causar desentendimentos. Na minha existência, é totalmente inimaginável chegar na pessoa e dizer: Oi, tudo bem? Eu te gosto muito, mas você é muito chato, pessimista, egoísta, dark e toda vez que fico perto de você tenho vontade de sumir. Então vamos melhorar, ok?

Dizer isso pra alguém é garantia de tomar um socão no meio da boca ou escutar a maior choradeira. Portanto, não dá, né?

Mas, ao mesmo tempo em que não queremos ficar mal com pessoas das quais gostamos, precisamos manter nossa saúde mental e nossa energia positiva. Então, alguma coisa precisa ser feita.

Ainda acho que o melhor caminho é conversar com jeitinho com a pessoa, e mostrar pra ela que aquele comportamento faz tanto mal pra ela quanto pra nós.

Porém, como nem sempre isso é possível, outra saída que uso é mudar o meu comportamento quando a pessoa começa a agir de modo vampiresco. Se a conversa começa a tomar um caminho egoísta, pessimista, mudo de assunto de repente, de um jeito que a pessoa realmente perceba que eu não estou curtindo o rumo da prosa. É simples e geralmente funciona.

Não sei se isso funciona com todo mundo, mas o importante é a gente se blindar contra os ladrões de energia, pois isso nos afeta muito negativamente.

O pior e melhor tipo de vampiro energético é aquele que não fazemos questão de ter por perto. São aquelas pessoas com as quais às vezes somos obrigados a conviver, seja na escola ou no trabalho, por exemplo, e que acabam por sugar nossa energia vital, muitas vezes propositalmente. Digo que esse grupo é o pior tipo pois esse povo geralmente sofre de inveja crônica, frustração com a própria vida, fica triste com a felicidade dos outros e se alimenta da desgraça alheia. Esse tipo de gente rouba deliberadamente a energia dos outros. Porém, esse o melhor tipo de ladrão de energia, pois como não faz parte das pessoas que fazemos questão de ter por perto, é muito fácil de se proteger dele: é só ignorá-lo. Se ele quiser provocar uma briga, ignore-o. Se ele tentar te colocar para baixo, ignore-o. E nunca mude seu modo de agir por conta dele. O ladrão de energia geralmente quer desestabilizá-lo, justamente pelo fato de que pessoas com equilíbrio e felicidade em abundância o incomodam. Então, não perca sua educação, não deixe de brilhar e nem perca a compostura. Apenas ignore-o.

Do ponto de vista do amor ao próximo, da necessidade de ajudarmos os outros a serem pessoas melhores, essa não é a solução mais perfeita.

Mas pra ajudar a gente a se manter em paz, longe dos sugadores energéticos, isso funciona bem! :)

E vocês, como lidam com os ladrões de energia?

Beijos!

4 comente aqui
Posts Relacionados

Página 7 de 168« Primeira...56789...203040...Última »

Dias de Sol no Youtube // Se inscreva!