A história da minha pele
☰ Menu

Dias de Sol - Blog sobre beleza, proteção solar, livros e outras coisinhas do universo feminino.

  • A história da minha pele

A história da minha pele

Fui uma adolescente de sorte: minha pele era ótima! As espinhas e os cravos apareciam raramente, apesar de, naquela época eu não cuidar direitinho da pele. Pois é, minha vida foi essa alegria até por volta dos 20 anos. Depois disso, acho que todo o dano acumulado resolveu se manifestar de uma vez só, e foi a maior depressão. Espinhas, cravos, oleosidade, melasma, tudo sucessivamente Mas, querem saber? Isso foi ótimo. Sabem por quê? Porque só aí que eu comecei a dar à minha pele a atenção devida.

Cuidados-com-a-pele-do-rosto

A primeira batalha que travei foi contra a acne. Comecei pelos produtos básicos de farmácia, como Acnase, Clean & Clear, Pure Zone, mas nada adiantava. Mudei minha dieta, achando que o excesso de chocolate e derivados do leite poderiam estar agravando minha situação, mas também não deu resultado. Usei máscaras caseiras de tudo quanto é coisa, compressa de chá de camomila, passei clara de ovo no rosto, enfim… Não funcionou.

E então, resolvi fazer o óbvio: parei de sofrer e procurei um dermatologista.

A primeira providência dele foi me indicar um anticoncepcional, pois os hormônios da pílula talvez pudessem dar um jeito na minha pele. Depois de uns três meses de uso, comecei a ver alguns resultados, mas com o tempo, a acne voltou com força total.

Procurei uma nova dermatologista, que resolveu ir mais a fundo. Usei alguns antibióticos, seguidos de Isotretinoína tópica e outras fórmulas manipuladas. E infelizmente, não tive resultados e, mais uma vez, apenas gastei meu rico dinheirinho.

E então, a dermatologista resolveu apelar e me receitou o mais temido e eficiente tratamento contra a acne: Roacutan.

Fiz uma enorme quantidade de exames, recebi muitas orientações da médica, pois o Roacutan pode trazer diversos e sérios efeitos colaterais físicos e até psicológicos (de acordo com a bula, pode levar até ao suicídio, acreditam como é forte???), e sua ingestão possui uma série de restrições e precauções.  E enfim iniciei o tratamento, com previsão de duração de 10 meses. O início foi tranqüilo, os efeitos colaterais externos foram mínimos, apenas algumas rachaduras nos lábios e ressecamento nasal. Minha pele estava ficando uma belezinha. Porém, a cada mês eu precisava repetir os exames de sangue, pois o Roacutan pode causar alterações sérias. E no 4º mês, infelizmente a dermatologista suspendeu o tratamento, pois meu exame de sangue apresentou alterações complicadas…

E lá se foi minha pele dos sonhos. Depois de uns meses sem Roacutan, as espinhas voltaram a aparecer, e eu fiquei louca (foi mais ou menos na época em que o melasma apareceu, é pra morrer ou não é???). Minha autoestima foi para o lixo, e foi então que percebi que eu precisava rever todos os meus conceitos a respeito do que é cuidar da pele.

Passei, por conta própria, a pesquisar muito na internet a respeito de pele oleosa e melasma. Investi meu tempo e dinheiro, me disciplinei e comecei a comprar (e usar) os produtos certos, aprendendo a importância de ler os rótulos e a formulação das coisas. Passei a me olhar no espelho com mais atenção, para entender como é minha pele e o que ela está pedindo. Entendi que a coisa mais importante para minha pele é a santíssima trindade “limpeza – hidratação – proteção solar”.

E, para minha felicidade, os resultados começaram a chegar, devagarzinho. A pele já não mais parecia uma petrolífera, e com a oleosidade controlada, as espinhas e cravos foram diminuindo. Comecei a usar protetores solares próprios para pele oleosa, e o melasma estacionou. Passei a usar hidratante (sim, pele oleosa também precisa de hidratação), e a elasticidade da pele agradeceu. Inseri alguns clareadores na minha rotina de cuidados, e o melasma foi cedendo.

Percebi que persistência, curiosidade e disciplina são as armas mais importantes para quem trava uma guerra contra o espelho todos os dias.

E hoje, eu não tenho uma pele perfeita, estou bem longe disso, mas tenho uma pele que me deixa feliz quando me olho no espelho.

E devo isso a várias meninas que pela internet, sem saber, me ajudaram muito, ao relatarem suas experiências com seus problemas de pele.

Por isso, hoje, o conselho que dou a quem tem algum problema ligado à pele é o seguinte: tenha bom senso, disciplina e paciência. Bom senso, para saber que se você não cuidar da própria pele, nenhum milagre irá acontecer, ou seja, se você não se fotoproteger, sua pele vai envelhecer e ficar manchada, se você não hidratá-la, ela irá ficar ressecada e parecer mais envelhecida, se você cutucar suas espinhas, você terá cicatrizes. Enfim, são coisas óbvias, mas que de vez em quando a gente se esquece. Disciplina, para aceitar que os cuidados com a pele devem ser como escovar os dentes, ou seja, todos os dias, várias vezes por dia. Não adianta gastar rios de dinheiro com produtos e só lembrar de passar protetor solar só de vez em quando, ou limpar a pele só quando não está com preguiça. Você tem que fazer a coisa funcionar, e para isso, tem que criar uma rotina de cuidados, que aos poucos vai ser tão natural para você quanto tomar banho. E por fim, paciência. Paciência para entender que uma melhora na pele leva tempo para acontecer, suas manchas, espinhas, rugas não vão sumir em um passe de mágica, isso leva tempo. Mas por pior que seja seu problema de pele, ele sempre pode ser resolvido, melhorado ou camuflado com uma bela maquiagem! ;)

Procure um bom dermatologista, pesquise na internet e, o mais importante, observe sua pele. Você vai ver que com os produtos certos e fazendo tudo direitinho, você vai resolver a grande parte dos seus probleminhas estéticos.

Beijos.

Vivian

The following two tabs change content below.
Paulistana que mora na praia, mas foge do sol. Libriana, indecisa e que ama cachorros, pizza e livros, e é dona do Dias de Sol. Muito prazer!

Latest posts by Vivian (see all)

17 comente aqui
Posts Relacionados
Deixe seu Comentário


Dias de Sol no Youtube // Se inscreva!